Notepad++ e FreePascal Funcionando Como uma IDE

Padrão

Hoje em dia, assim como quando comecei a estudar programação, usa-se a linguagem Pascal para ensinar programação, principalmente devido a sua sintaxe simples (eu não acho tão simples assim, mas enfim…).

Um dos problemas que eu vejo é o fato de possuir um editor + compilador bacanas. Quando estudei, usava o Turbo Pascal. Sem brincadeira… era uma tristeza usar aquele dinossauro (que hoje em dia nem roda direito no Windows 7). Aí apareceu o Free Pascal. Muito bom, um compilador moderno e tudo. Mas a “IDE” em modo texto é uma tristeza… Por fim das contas, descobri o Notepad++ para editar os arquivos e usava o compilador do FreePascal na linha de comando pra compilar os fontes.

Até que…

Continue lendo!

Configurando um Dispositivo Android com o AVD Manager

Padrão

Olá pessoal! No último post sobre Android, vimos como configurar o ambiente para programarmos, utilizando o Eclipse. Neste post, vamos ver como criar um dispositivo para a execução dos aplicativos que serão criados. Assim, você não precisa necessariamente de um celular com Android para começar a desenvolver para a plataforma 😀

Bom, o primeiro passo é abrir o Eclipse e clicar no ícone do AVD Manager (AVD = Android Virtual Device), ou ir até o menu Window -> AVD Manager.

Continue lendo!

Montando um Ambiente de Desenvolvimento para Android

Padrão

Olá leitores! Já estamos em 2012… ano novo, vida nova… e por que não aprender uma coisa nova? Hoje vou mostrar como montar um ambiente de desenvolvimento para Android! Pra quem nunca ouviu falar (???), o Android é um sistema operacional da Google para dispositivos móveis. Hoje em dia, milhões de celulares e tablets utilizam o Android como sistema.

Uma coisa bem legal é que você pode disponibilizar seus aplicativos no Market do Android (após o pagamento de uma taxa) e talvez até ganhar um dinheiro com isso! Bacana não?

O desenvolvimento de aplicativos para Android é feito utilizando a linguagem Java, com a utilização de arquivos XML para a criação das interfaces. Apesar de parecer complexo, é relativamente simples criar seus aplicativos. Além disso, é bem fácil ter acesso a diversos recursos geralmente disponíveis em dispositivos móveis, tais como câmera, GPS, Bluetooth, etc.

Para facilitar o desenvolvimento, foi criado um plug-in para o Eclipse. Através dele, é fácil gerenciar as plataformas (diversas versões do Android) e as máquinas virtuais para executar seus aplicativos.

Continue lendo!

Compilando e Instalando a biblioteca Allegro 5 no Ubuntu

Padrão

Olá pessoal! Neste post vou mostrar como obter a nova versão da biblioteca Allegro e como instalá-la em um computador rodando Ubuntu. Realizei os testes utilizando o Ubuntu 11.04, mas o processo deve ser o mesmo em versões anteriores ou mais novas.

Bom, o primeiro passo é instalarmos as dependências para a compilação e execução da biblioteca. Abra uma janela do Terminal. Nela, digite o seguinte comando para instalar as dependências obrigatórias:

sudo apt-get install build-essential subversion cmake xorg-dev libgl1-mesa-dev libglu-dev

Neste processo, será pedido sua senha e a confirmação para iniciar o download dos pacotes. O próximo passo é instalar as bibliotecas necessárias à compilação dos módulos da Allegro 5. Para isso, digite no Terminal:

sudo apt-get install libpng-dev libz-dev libcurl4-gnutls-dev libfreetype6-dev libjpeg-dev libvorbis-dev libopenal-dev libphysfs-dev libgtk2.0-dev libasound-dev libflac-dev libdumb1-dev

Por último, caso queira também construir os arquivos de documentação da biblioteca, execute no Terminal:

sudo apt-get install exuberant-ctags dvi2ps dvipdfmx latex2html pandoc

Após concluir as instalações dos pacotes, vamos baixar o código-fonte da Allegro 5 para compilarmos. Ainda no Terminal, digite o comando:

svn co https://alleg.svn.sourceforge.net/svnroot/alleg/allegro/branches/5.0 allegro-5.0

Este comando baixará o código-fonte dos repositórios oficiais e colocará em uma pasta chamada allegro-5.0. Agora, vamos navegar para a pasta e preparar os arquivos para a instalação. No Terminal, digite os seguintes comandos:

cd allegro-5.0

cmake -DCMAKE_INSTALL_PREFIX=/usr .

Com isso, já teremos os arquivos preparados para realizar a instalação. Para finalizar, digite no Terminal:

make

sudo make install

Pronto! Após a conclusão do processo, já deveremos ter a biblioteca devidamente instalada e pronto para ser utilizada.

Para testarmos se a biblioteca foi instalada corretamente, edite um arquivo no gedit ou no vim com o seguinte código (no meu caso, salvei com o nome de main.c:

#include <stdio.h>
#include <allegro5/allegro.h>

int main(int argc, char *argv[])
{
	ALLEGRO_DISPLAY *janela = NULL;

	if (!al_init())
	{
		fprintf(stderr, "Falha ao inicializar a Allegro 5\n");
		return -1;
	}

	janela = al_create_display(640, 480);
	if (!janela)
	{
		fprintf(stderr, "Falha ao criar a janela\n");
		return -1;
	}

	al_clear_to_color(al_map_rgb(255, 255, 255));

	al_flip_display();

	al_rest(10.0);

	al_destroy_display(janela);

	return 0;
}

Para compilar e executar o programa, basta digitar no Terminal:

gcc -lallegro -oteste main.c

./teste

Pronto! Se deu tudo certo, aparecerá uma janela preenchida de branco que permanecerá na tela por 10 segundos.

Espero que ajude, e aguardem por mais posts sobre a Allegro 5! Até a próxima! 😀

Montando um Ambiente de Desenvolvimento para TV Digital

Padrão

Olá, pessoal! Hoje vou mostrar como preparar seu sistema para podermos criarmos e testarmos aplicativos para TV Digital, utilizando a linguagem NCL (Nested Context Language).

Primeiramente, precisamos preparar a máquina virtual que rodará o middleware Ginga, que é o responsável por possibilitar a interatividade no sistema de TV e interpretar os nossos programas em NCL. Para isso, precisamos instalar o emulador VMWare Player.

BAIXANDO E INSTALANDO O VMWARE PLAYER

Vamos até esta página e clicamos sobre o botão Download, conforme mostrado na imagem abaixo:Prosseguindo, na tela seguinte, vamos novamente clicar no botão de download para baixarmos a versão mais recente do aplicativo. No momento em que este post é escrito, a última versão é a 3.1.4. Clique no botão conforme exibido na imagem abaixo (clique na imagem caso queira ampliar).

Neste momento, será necessário realizar um cadastro no site para que o download esteja disponível. Preencha com seu primeiro nome, sobrenome e e-mail, conforme mostrado na imagem a seguir. Após isso, clique no botão Continue.

Na tela seguinte, você deve terminar de inserir seus dados. Selecione o país como Brasil, insira uma senha (2 vezes) e concorde com os termos da licença. Em seguida, clique no botão Register.

Para concluir o cadastro, será necessário clicar sobre o link enviado para o seu e-mail. Vá até seu e-mail e procure pela mensagem recebida. Abra-a e clique sobre o botão Activate Now.

Ao clicar no link, será aberta uma página pedindo a inserção da sua senha. Digite-a e clique no botão Continue.

Clique em Continue e verifque seu e-mail. Você deve ter recebido uma nova mensagem (caso não tenha chegado, verifique na sua caixa de Spam ou Lixo Eletrônico) e clique no botão Acess Now. Na página que abrir, estarão disponíveis para download as versões do VMWare para diversos sistemas operacionais. Caso esteja usando o Windows, clique sobre Manually Download na opção VMWare Player 3.1.4 for 32-bit and 64-bit Windows, ou caso esteja utilizando Linux, a versão correspondente ao seu sistema (32 ou 64-bit). Aguarde o término do download, que possui aproximadamente 100Mb.

Se você baixou a versão Windows, você deve ter um arquivo exe que pode ser instalado normalmente. Já se você baixou a versão Linux, você deve ter um arquivo bundle. Para executá-lo, basta abrir um terminal e digitar:

$ sudo sh ./VMWare-Player-3.1.4-385536.i386.bundle

O nome do arquivo pode variar dependendo da sua arquitetura e da versão atual. A instalação corre em modo gráfico e deve ocorrer sem problemas.

BAIXANDO O VIRTUAL SET-TOP BOX

Para executar nossos aplicativos em NCL, precisaremos de um emulador para simular o sistema encontrado em um set-top box. Para isso, vamos baixar a imagem fornecida no site oficial do NCL. Vá até este link e clique para baixar o GINGA-NCL VIRTUAL STB. No momento em que este post é escrito, a versão atual é a 0.12.3.

ginga-ncl_virtual_stb01O download tem aproximadamente 450Mb.

BAIXANDO O ECLIPSE E INSTALANDO O PLUG-IN NCL-ECLIPSE

A IDE (Integrated Development Environment) utilizada para o desenvolvimento das aplicações para TV Digital é o Eclipse. Para baixá-lo, basta ir até este link. Praticamente qualquer versão pode ser utilizada. Uma sugestão é a versão Classic. Escolha o link que corresponda ao seu sistema operacional e versão (32 ou 64-bit).

Na tela seguinte, basta clicar sobre a seta verde para iniciar o download.

Ao concluir o download, basta extrair o arquivo e executar eclipse.exe (Windows) ou eclipse (Linux). Caso você ainda não tenha o JDK (Java Development Kit) em sua máquina, será necessário instalá-lo. No site oficial, encontrado neste link, você encontra versões para o seu sistema operacional – basta clicar sobre o botão Download. No caso do Ubuntu, você pode também instalar através dos repositórios oficiais, digitando em um terminal:

$ sudo apt-get install openjdk-6-jdk

Vamos agora instalar o plug-in para edição de arquivos NCL no Eclipse e a integração com o set-top box virtual. Para instalá-lo, abra o Eclipse, clique no menu Help -> Install New Software…

Agora, clique sobre o botão Add… e insira em ‘Name’, Plugin NCL-Eclipse e em ‘Location’, http://www.laws.deinf.ufma.br/ncleclipse/update

Agora, basta marcar a caixinha NCL e ir avançando no processo normalmente. Após a conclusão da instalação, você já terá as opções de projetos NCL no assistente para a criação de novos projetos.

EXECUTANDO A MÁQUINA VIRTUAL E INTEGRANDO AO ECLIPSE

O próximo passo é colocar a máquina virtual pra rodar. Descompacte o arquivo do set-top box virtual (no caso, ubuntu-server10.10-ginga-v.0.12.3-i386.zip). Agora, abra o VMWare Player, aceite os termos da licença, caso seja pedido, e clique sobre Open a Virtual Machine.

Localize o diretório onde você extraiu os arquivos da máquina virtual e abra o arquivo ubuntu-server10.10-ginga-i386.vmx. Agora, basta dar um duplo clique sobre a máquina virtual ou clicar no botão Play this virtual machine. Ao ser indagado sobre a origem da máquina virtual, clique sobre I copied it. Aguarde até o carregamento completo da máquina para prosseguir. Caso o VMWare peça para instalar complementos, basta cancelar (eles não são necessários para o funcionamento do set-top box virtual). Quando o carregamento estiver completo, a máquina virtual se encontrará assim:

Agora, vamos configurar o plugin NCL para comunicar-se com o set-top box virtual. Anote este IP que aparece no canto inferior esquerdo da máquina virtual (no meu caso, 172.16.16.128, conforme a imagem acima). Agora, abra o Eclipse, e vá até o menu Window -> Preferences. Na seção NCL, em Remote Ginga NCL Play, coloque o IP da máquina virtual no campo Hostname. Vai ficar assim:

Basta clicar em OK para concluir o processo.

Pronto! Agora você já pode começar a desenvolver suas aplicações em NCL utilizando o Eclipse e o Virtual STB. Mas isso, é conversa pra outro post!

Até a próxima! 😀