Criando um Novo Projeto e Criando um Emulador no Android Studio – Tutorial Android 2

Padrão

Olá pessoal! No último post sobre Android, vimos como configurar o ambiente para programarmos, utilizando o Android Studio. Neste post, vamos ver como criar um projeto no famoso estilo Hello World, e um dispositivo virtual para a executarmos o aplicativo. Assim, você não precisa necessariamente de um celular com Android para começar a desenvolver para a plataforma, apesar de ser bastante recomendado 🙂

Ao abrir o Android Studio, vamos selecionar a opção Start a new Android Studio project. O guia que será aberto em seguida, nos auxiliará a criar um projeto sem muito esforço. Logo na primeira tela, vamos informar alguns dados básicos, como o nome do aplicativo (que utilizaremos Hello World) e o Company Domain, que nada mais é que um domínio que você tenha. Isso ajudará a criar um identificador único para seu aplicativo. No meu caso, vou colocar rafaeltoledo.net, mas você pode, por exemplo, utilizar seu nome no Github e criar o seu próprio domínio (por exemplo, rafaeltoledo.github.io). Para este projeto, não selecionaremos o suporte a C++. Vamos guardar isso para um tutorial mais avançado 🙂

Na tela seguinte, vamos configurar os módulos que nosso projeto terá, além das versões suportadas do Android. No momento que escrevo este tutorial, a minha recomendação é utilizar a API 16 como Minimum SDK. Assim, nosso aplicativo executará em mais de 97% dos dispositivos Android atualmente ativos. Você pode acompanhar a evolução das versões neste site, atualizado mensalmente.

Neste primeiro momento, vamos selecionar apenas a opção Phone and Tablet. Também vamos deixar os outros módulos, como Wear, TV e Auto para outras oportunidades e tutoriais futuros.

Na tela seguinte, vamos selecionar a opção Basic Activity. Você perceberá que muita coisa será gerada e criada, mas não se preocupe, vamos entender o que é cada coisa ao seu tempo. Avance utilizando a opção Next.

Por fim, vamos manter o nome da Activity como MainActivity, deixando as opções padrão como estão. Clique em Finish para finalizarmos o wizard.

Aguarde alguns momentos até que as dependências do projeto sejam iniciadas e a primeira compilação seja realizada.

Para executarmos este projeto, vamos criar um emulador, conhecido como AVD (Android Virtual Device). Para isso, clique no botão AVD Manager na barra de ferramentas do Android Studio.

Na janela que aparecer, selecione a opção Create Virtual Device…, que iniciará o wizard para a criação de um novo emulador.

Na tela seguinte, será exibida uma série de modelos de celular e tablet, que servirá como base para o nosso emulador. Escolha qualquer um que desejar, como por exemplo o Nexus 5. Clique em Next para avançar.

Na tela seguinte, escolheremos a imagem que utilizaremos em nosso dispositivo. A imagem contém o sistema operacional em si. A minha recomendação é escolher uma versão mais recente, e, caso seu processador e sistema operacional seja 64 bits (provavelmente é), escolha a opção x86_64 e com as APIs do Google (with Google APIs). Para este caso, estou selecionando a versão 7.1.1. Caso a imagem ainda não tenha sido baixada, clique na opção Download.

Na última tela, temos algumas opções do dispositivo, como câmera, memória e armazenamento. Por enquanto, mantenha as opções padrão e finalize.

Feche a janela do AVD Manager e clique para executar o projeto, no botão com o formato de um play na barra de ferramentas do Android Studio.

Feito isso, aguarde alguns instantes até que o emulador seja carregado e o aplicativo compilado, e então você verá seu primeiro aplicativo Android sendo executado! 🙂

E é isso pessoal! No próximo post vamos entender melhor a estrutura de um projeto Android e começar, de fato, a colocar a mão na massa! Até lá!

 

Configurando o Ambiente de Desenvolvimento – Tutorial Android 1

Padrão

Desde o último post que explicava a configuração do ambiente de desenvolvimento para Android, tivemos pelo menos uma mudança bem drástica. Se antes utilizávamos o Eclipse, hoje utilizamos o Android Studio, uma versão da poderosa IDE IntelliJ IDEA, desenvolvida pela JetBrains.

Configuração no Windows

O primeiro passo para a instalação do ambiente no Windows, é o download da JDK (Java Development Kit). Ela nos fornecerá a base de ferramentas para o desenvolvimento Java, que será utilizada também para o desenvolvimento dos apps Android também. Você pode baixar a JDK no site da Oracle. A instalação deve ocorrer sem problemas.

O próximo passo consiste em baixarmos o Android Studio. Após baixar o .exe bundle (que já contém os itens básicos de SDK e emulador), basta seguir o procedimento de instalação normalmente como qualquer outro aplicativo.

O último passo é exportarmos as variáveis de ambiente JAVA_HOME ANDROID_HOME, para que possamos, quando necessário, também executar builds e comandos a partir do console. Primeiramente vamos exportar a ANDROID_HOME. Caso você não tenha alterado o local durante a instalação do Android Studio, o valor deve ser:

%LOCALAPPDATA%\Android\sdk

Em seguida, vamos exportar a JAVA_HOME. Novamente, se você não alterou o local da instalação do Java, o valor deve ser:

%ProgramFiles%\Java\jdk1.8.0_111

No momento que escrevo este post, a última versão do Java é a 8, revisão 111. Caso a versão que você instale seja outra, ajuste o caminho de acordo.

Por fim, vamos adicionar os binários ao Path do sistema, para que sejam acessíveis através do console. Adicione ao Path as entradas %ANDROID_HOME%\tools%ANDROID_HOME%\platform-tools%JAVA_HOME%\bin.

Para testar, valide que os comandos adbjavac são acessíveis no console.

Durante a instalação do Android Studio, também deve ter sido instalado o HAXM (caso o seu processador seja compatível). O HAXM permitirá que vocẽ execute o emulador do Android com excelente desempenho. Outra boa opção de emulador é o Genymotion, porém para usos gerais, o emulador que acompanha a SDK do Android é suficiente.

Por fim, opcional mas recomendado, instale o Git, que é hoje a ferramenta de versão mais utilizada.

Configuração no Linux

No Linux, por possuirmos um gerenciador de pacotes, a coisa fica um pouco mais fácil. Caso você esteja utilizando o Ubuntu / Linux Mint, para preparar nosso ambiente, basta instalar os seguintes pacotes:

sudo apt-get install lib32z1 lib32ncurses5 lib32stdc++6 openjdk-8-jdk qemu-kvm libvirt-bin ubuntu-vm-builder bridge-utils

Caso esteja utilizando o Fedora, os pacotes são:

sudo dnf install glibc.i686 glibc-devel.i686 libstdc++.i686 zlib-devel.i686 ncurses-devel.i686 libX11-devel.i686 libXrender.i686 libXrandr.i686 java-1.8.0-openjdk-devel qemu-kvm

Outras distribuições podem ter estes pacotes com outros nomes, mas uma rápida busca pode trazer os correspondentes. O Linux não utiliza o HAXM para aceleração dos emuladores x86 – para isso, temos o KVM, um mecanismo de virtualização ligado ao kernel (caso o seu processador suporte).

Em seguida, vamos baixar o Android Studio. Para Linux, o arquivo tem extensão .tar.gz e deve ser extraído para alguma pasta (como por exemplo, ~/Android). Feito isso, basta executar o arquivo studio.sh que encontra-se dentro da pasta bin. Na primeira execução, serão baixados os pacotes necessários para a SDK. Para encerrar, selecione no menu Configure a opção Create Desktop Entry para facilitar a execução do Android Studio a partir do seu menu de aplicativos (seja UnityGnomeKDE, etc.)

O último passo é exportarmos a variável ANDROID_HOME e colocar os binários no Path. Para isso abra o arquivo ~/.bashrc ou, caso esteja utilizando o zshell, ~/.zshrc, e adicione as seguintes linhas. Caso tenha modificado o local da instalação da SDK do Android, ajuste o caminho:

export ANDROID_HOME="$HOME/Android/Sdk"
export PATH="$PATH:$ANDROID_HOME/tools:$ANDROID_HOME/platform-tools"

Por fim, é opcional porém recomendada, a instalação do Git para controle de versão dos nossos projetos.

Configuração no OSX

No OSX (Mac), a instalação é semelhante a que fizemos para o Windows. Primeiramente, baixe a JDK do site da Oracle. A instalação deve ocorrer sem maiores problemas, bastando seguir o wizard com o passo a passo da instalação.

Em seguida, baixe o Android Studio. A partir do arquivo .dmg, a instalação é tranquila, seguindo o padrão para outros aplicativos do Mac. Ao executar pela primeira vez, as ferramentas serão baixadas e o HAXM será instalado.

O último passo é a configuração das variáveis de ambiente. Contando que os caminhos padrão tanto do Java quanto da SDK do Android não foram alterados durante a instalação, adicione o seguinte conteúdo ao arquivo ~/.bash_profile (caso o arquivo não exista, crie-o).

export JAVA_HOME=/Library/Java/JavaVirtualMachines/jdk1.8.0_111.jdk/Contents/Home
export ANDROID_HOME=$HOME/Library/Android/sdk
export PATH=$PATH:$JAVA_HOME/bin:$ANDROID_HOME/tools:$ANDROID_HOME/platform-tools

Por último, opcionalmente mas fortemente recomendado, instale o Git (opte por utilizar o Homebrew, para instalar a versão mais recente).


E é isso! Aguardem os próximos posts, pois começaremos a colocar a mão na massa 🙂

Configurando um Dispositivo Android com o AVD Manager

Padrão

Olá pessoal! No último post sobre Android, vimos como configurar o ambiente para programarmos, utilizando o Eclipse. Neste post, vamos ver como criar um dispositivo para a execução dos aplicativos que serão criados. Assim, você não precisa necessariamente de um celular com Android para começar a desenvolver para a plataforma 😀

Bom, o primeiro passo é abrir o Eclipse e clicar no ícone do AVD Manager (AVD = Android Virtual Device), ou ir até o menu Window -> AVD Manager.

Continue lendo!