Desenvolvendo para Android com Kotlin: Como Começar?

Padrão

Olá pessoal!

Acredito que alguns de vocês já tenham ouvido falar no Kotlin. Pra quem não conhece, o Kotlin é uma linguagem que vem sendo desenvolvida pela Jetbrains (a empresa responsável pelo Android Studio, IntelliJ IDEA e uma porção de IDEs muito boas), focada na JVM, Android e web. A princípio, ela pode ser vista como um Java menos (muito) verboso. Por alguns, ela é chamada o Swift do Android! 🙂

Apesar de ainda estar em desenvolvimento, já é possível criar aplicativos completos utilizando essa linguagem, e é exatamente esse o propósito desse post: mostrar como configurar a sua IDE e criar o primeiro projeto usando Kotlin.

Bom, o primeiro passo é instalar os plugins do Kotlin no seu Android Studio ou IntelliJ. Para isso, abra as configurações da IDE e localize a opção Plugins. Ali, clique em Install JetBrains plugin… e localize os plugins Kotlin e Kotlin Extensions for Android.

Kotlin PluginsFeito isso, basta reiniciar a sua IDE para que a instalação esteja completa.

Com isso, já podemos criar o nosso projeto Android. A criação em nada difere de um projeto comum. Como ainda não temos um template, no início, temos que converter as classes manualmente. O que difere aqui são os arquivos de configuração do Gradle, que terão os plugins do Kotlin adicionados:

buildscript {
    repositories {
        jcenter()
    }
    dependencies {
        classpath 'com.android.tools.build:gradle:1.3.1'
        classpath 'org.jetbrains.kotlin:kotlin-gradle-plugin:0.12.1230'
        classpath 'org.jetbrains.kotlin:kotlin-android-extensions:0.12.1230'
    }
}

allprojects {
    repositories {
        jcenter()
    }
}

Aqui, adicionamos ao classpah os plugins do Kotlin (kotlin-gradle-plugin e kotlin-android-extensions – que não será utilizado ainda nesse primeiro tutorial).

No build.gradle do projeto, aplicamos o plugin e adicionamos a biblioteca padrão do kotlin:

apply plugin: 'com.android.application'
apply plugin: 'kotlin-android'

android {
    compileSdkVersion 23
    buildToolsVersion '23.0.1'

    defaultConfig {
        applicationId 'net.rafaeltoledo.hellokotlin'
        minSdkVersion 16
        targetSdkVersion 23
        versionCode 1
        versionName '1.0'
    }
    buildTypes {
        release {
            minifyEnabled false
            proguardFiles getDefaultProguardFile('proguard-android.txt'), 'proguard-rules.pro'
        }
    }
}

dependencies {
    compile fileTree(dir: 'libs', include: ['*.jar'])
    testCompile 'junit:junit:4.12'
    compile 'com.android.support:appcompat-v7:23.0.1'
    compile 'org.jetbrains.kotlin:kotlin-stdlib:0.12.1230'
}

Caso tenha escolhido para que o Android Studio gere a primeira Activity, você pode convertê-la para Kotlin indo até o menu Code -> Convert Java File to Kotlin File. Aquela sua Activity marota em Java vai virar algo mais ou menos assim:

package net.rafaeltoledo.hellokotlin.activity

import android.os.Bundle
import android.support.v7.app.AppCompatActivity
import net.rafaeltoledo.hellokotlin.R

public class MainActivity : AppCompatActivity() {

    override fun onCreate(savedInstanceState: Bundle?) {
        super.onCreate(savedInstanceState);
        setContentView(R.layout.activity_main)
    }
}

Agora é só executar e é só alegria. Até a versão 0.11, era necessária uma pasta de sources específica para o Kotlin, mas com a 0.12+, já não é necessário (perceba que os arquivos .kt ficam na pasta java de sources).

É isso pessoal! Aguardem que logo logo eu trago mais novidades!

Android Studio – Visão Geral

Padrão

Olá pessoal!

Nos últimos tempos, temos várias novidades no que diz respeito ao mundo Android. Tivemos o KitKat (4.4), Nexus 5, SDK do Google Glass, etc. Além disso, tivemos uma novidade ainda em fase de cozimento desde o último evento Google I/O: o Android Studio.

android-studioBaseado na IDE IntelliJ (não tão popular assim no Brasil, mas muito forte lá fora), ela é bem mais leve que o nosso amigo Eclipse, mesmo estando ainda em versão experimental (enquanto escrevo esse post, ela o Android Studio encontra-se na versão 0.4).

O grande diferencial dela para o plugin ADT que tínhamos lá no Eclipse, é o uso do Gradle, um poderoso sistema de gestão de builds. Como pretendo mostrar em alguns posts daqui pra frente, com o Gradle, fica muito mais de boa fazer a gestão das versões do nosso app (por exemplo, uma versão gratuita, outra paga). Além disso, no Android Studio, as ferramentas se sentem muito mais em casa, com previews em tempo real dos layouts XML, integração com Git / Github, e mais um monte de coisa bacana. Tudo isso com um visual muito mais atraente que o nosso amigo Eclipse.

Pra instalar, não tem erro, basta ter a JDK instalada e baixar daqui o instalador do Android Studio, que já vem tudo no jeito. Ah, uma dica pro pessoal que usa Windows: evite instalar na pasta Arquivos de Programas pra não ter problemas de permissão (tive problemas nesse sentido que, só depois, fui descobrir o motivo).

Logo logo, farei alguns posts sobre como utilizar essa nova IDE. Por isso, fiquem de olho aqui no blog! Prometo não sumir esse ano! 🙂