Avulso

Padrão

Preparo-me para o renascimento
Recompondo o que era, para o que será
Jamais senti que a hora tarda
Preso me sinto em meu esquecimento

Já procurando a busca incansável
Encantado com o que me aguarda
Com medo do que há em mim
O horizonte se torna descartável

No sagrado sentimento me renovo
Buscando purificar-me pelo todo
Não me levem em conta ao todo
Entro então, novamente, no jogo

As palavras ecoam no nada
Tudo e nada não mais existem
E a sensação deles então surgem
Vou sozinho com minhas asas

Desconsiderem este prolixo ser
Mandem tudo pro lixo para vencer